A Sexualidade e seus conflitos

Sexualidade = uso da energia sexual e todas as formas de busca de prazer no cotidiano.

crazy2

A expressão da sexualidade é múltipla no ser humano.

 

O assunto ainda é tabu nas sociedades imaturas. Algumas religiões utilizaram o sexo como expressão do pecado e como forma de manipulação das massas.

 

Ah, claro, também foi e ainda é uma poderosa fonte de arrecadação de recursos materiais e financeiros. No passado tínhamos a venda de indulgências e atualmente a pornografia.

 

Seus responsáveis conversaram ou conversam com você sobre sexo?

notalk

Precisamos conversar em casa sobre isso o quanto antes, pois quanto mais nos fortalecermos em família sobre este assunto, mais tranquilidade teremos para tratar sobre a nossa sexualidade. Entretanto, não tendo esta orientação em família, não se desespere, pois você está em contato com uma doutrina extremamente acolhedora, orientadora e consoladora e nem um pouco repressora.

 

Aprendemos e entendemos com os espíritos que a essa nossa sexualidade tem um propósito sempre superior que vai ao encontro do nosso propósito ou propósitos maiores de vida.

 

Para alcançar estes propósitos, a nossa sexualidade se manifesta em aspectos variados:

Criativo – atividades de produção (trabalho de qualquer ordem, artes, ciências, realizações coletivas, ações sociais…)

Transformador – papéis circulares (homem, mulher, pai, mãe, filho, sobrinha, tio, avó…)

Agregador – a necessidade da busca pelo desejo, a ânsia de estar com o outro.

 

Percebendo a importância e magnitude da nossa sexualidade, dá para compreender também a confusão que causamos e porque ela, ao longo da história da humanidade, foi usada como força e poder de manipulação da massa. Somos ainda imaturos para lidar com a nossa sexualidade, mas já avançamos bastante e podemos avançar mais. Todos somos criativos, transformadores e agregadores, claro que uns mais que outros, pois alguns aproveitam melhor ao alcançar de forma satisfatória os propósitos de cada aspecto que a reencarnação presente lhe apresenta.

amorimbamor

 

“Os atuais são dias de libido desenfreada, de paixão avassaladora, de predominância dos desejos que desgovernam as mentes e aturdem os sentimentos sob o comando de Eros. Não obstante, o amor está sendo convidado a substituir a ilusão que o sexo automatista produz, acalmando as ansiedades enquanto alça os seres humanos ao planalto das aspirações mais libertadoras.” Joanna de Ângelis pelo médium Divaldo Franco no livro Amor Imbatível Amor.

 

 

Você sabe quem foi esse Eros no qual a Joanna cita no texto acima?

 

A mitologia Grega apresenta uma bela metáfora para compreendermos os nossos conflitos na área da sexualidade e o quanto precisamos estar atentos a esta força. No mito grego, Eros (cupido na mitogia romana) é o deus do amor e Tânatos, deus da morte. Eros, o mais belo dos deuses, possui arco e flecha com os quais costuma enlaçar de amor homens, mulheres e deuses. Certo dia, Eros adormeceu numa caverna, embriagado por Hipno (deus do sono, irmão de Tânatos). Ao sonhar e relaxar suas flechas se espalharam pela caverna, misturando-se às flechas da morte. Ao acordar, Eros sabia quantas flechas possuía. Recolheu-as e, sem querer, levou algumas que pertenciam a Tânatos (deus da morte). Sendo assim, Eros passou a portar flechas de amor e morte (Tanatos).

cupido

Por essa história da mitologia grega podemos perceber a nossa interpretação primitiva da paixão, expressão imatura muitas vezes da nossa sexualidade, vontade e desejos.

 

Por essa imaturidade ainda presente na maioria dos habitantes do planeta, não é de admirar os conflitos que presenciamos no dia-a-dia da sociedade e na nossa vida. A maioria de nós tem algum conflito na sexualidade, pode ser um conflito simples, que às vezes apenas com um diálogo franco resolve; mas alguns conflitos precisam de uma intervenção de terceiros. É importante o autoconhecimento para descobrir esses conflitos e buscar o equilíbrio dessas forças.

 

Como vemos, não é fácil lidar com essas forças da natureza, entretanto é nos nossos fracassos que muitas vezes trilhamos um caminho de crescimento. Então, a culpa não pode tomar conta do nosso coração e sim o arrependimento responsável, que nos faz avançar para a expiação e reparação dos nossos fracassos espirituais. E alargamos assim a nossa visão para perceber que as tentações ou oportunidades que se apresentam na nossa vida atual são um reflexo divino das nossas ações no passado. Isso não funciona como punição ou pagamento de uma dívida de uma economia chamada divina – que não tem nada a ver com o Deus amoroso e perfeito que temos –  e sim uma chance a mais de aprendizado. Claro que esse crescimento é sofrido como nos diz a música Alívio de Tim e Vanessa (veja o post sobre os 4 P´s) e só a caridade e a oração aliviam o coração conflituoso.

 

Vale a pena enfrentar esses desafios, vale a pena aprender com eles, vale a pena a cada passo evolutivo tomar as rédeas da nossa própria vida.

domar2

E a questão, não é só deixar de fazer as ações que nos levam ao desequilíbrio na área da sexualidade, é também buscar novos horizontes, novos aprendizados e mais nobres experiências. Um dos obstáculos que se apresentam para a busca de novos horizontes, por mais contraditório que pareça, é a crença de que você deve viver em plena liberdade com a sua sexualidade. Desculpe te dar a real, mas no momento evolutivo que vivemos como planeta, nós temos um livre-arbítrio relativo a essa evolução, portanto nós não temos essa liberdade toda. Então, para alcançar uma ilusória “liberdade”, ultrapassamos os limites das leis morais divinas, e daí a explicação da existência dos 4 P´s (volte ao post indicado acima XD) e outros conflitos e sofrimentos que buscamos para a nossa vida. Entramos em um ciclo vicioso que só vai parar quando cansarmos de sofrer por causa dessa busca desenfreada por liberdade.

 

Muitas vezes, a consequência desta postura rebelde por nossa parte afeta o equilíbrio das nossas famílias. Depois de nós mesmos, ela é a primeira que sofre com os nossos desequilíbrios.

 

joannaNessa organização em que os Espíritos se reúnem, algumas vezes repetindo experiências anteriores malogradas, onde ressumam os sentimentos doentios e as emoções superiores, num calidoscópio de provas e testemunhos, manifestam-se as oportunidades de renovação moral e elevação mental para serem colhidos os resultados do amor pleno.

Mensagem psicografada pelo médium Divaldo Pereira Franco, na manhã de 1.º de outubro em Brasília, DF.

 

Então vamos lá. Percebendo em um dos nossos familiares esse ponto de atenção, o que fazer? Ou percebendo que somos nós esse ponto de atenção, o que fazer?

 

O êxito não deve ser considerado como sendo a soma dos resultados felizes em totalidade, porquanto muitos Espíritos renascem em famílias equilibradas com finalidades expiatórias, permanecendo em situação afligente, sem que isso constitua fracasso do grupo doméstico. Antes, pelo contrário, a sustentação do enfermo espiritual, cercado por bondade e por amor, igualmente significa plenitude do programa estabelecido.

 

E Joanna continua:

 

Assim sendo, não se pode descartar a ausência de uma conduta espiritual no lar, de um nobre comportamento religioso, sem fanatismo, libertador, tolerante, entre os seus diversos membros, que sempre terão a que recorrer, quando nos momentos difíceis ou nas situações penosas da vida terrestre.

Mensagem psicografada pelo médium Divaldo Pereira Franco, na manhã de 1.º de outubro em Brasília, DF.

 

Você está ouvindo a música? Depende de você, querer acreditar, que pode ser feliz e, enfim, se libertar. Clique abaixo e ouça.

😉



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *