O amor está no ar!

Olá gente boa! Tudo certinho?

No post da semana passada vimos o quanto a vida de Paulo, após as desilusões que sofreu com a negativa de seu pai em aceitar sua nova crença, foi afetada pelos conselhos de sua noiva Abigail, sintetizados em quatro palavras mágicas: AMA, TRABALHA, ESPERA e PERDOA.

Dando continuidade às nossas postagens, essa semana vamos conversar um pouco sobre a primeira dessas palavras (o AMA), e tentar entender melhor o que essa decisão (DE AMAR) representa para a nossa relação familiar. Viu que até rimou? 😉

Preparados?

Então, começa agora mais um post do GERAÊ que transborda amor por todos os bits e bytes!!! Acompanhaê.

fofo

Uma das pessoas que mais estudou o tema “amor” no mundo acadêmico foi um professor da Califórnia, o Dr. Leo Buscaglia. O legal é que ele criou, na Universidade onde lecionava, uma disciplina com esse nome fofo: AMOR. No começo, ninguém entendeu muito bem a proposta. Mas, com o passar do tempo, ficou claro que ele queria ajudar seus queridos alunos a ressiginificarem suas relações pessoais e a entenderem melhor a função do amor na vida diária.

A motivação para que o professor tivesse essa ideia é um capítulo triste na história. Depois de descobrir que uma de suas alunas mais brilhantes (que vinha de uma família riquíssima e era extremamente atraente) tinha cometido suicídio, o professor Buscaglia refletiu longamente sobre a superficialidade das nossas relações e sobre a tremenda indiferença que dedicamos à dor alheia. Ele próprio concluiu o quanto era distante dos seus alunos, e sentiu muito por não ter percebido o possível pedido de socorro que, pelo menos o olhar da aluna, denunciaria.

A disciplina, oferecida como optativa para todos os alunos da Universidade, foi um sucesso. Todo mundo queria entender melhor o amor! Em alguns semestres, a lista de espera para uma das vagas ofertadas chegou a mais de 2.000 estudantes!!! Com tanta repercussão, o professor passou a ser figurinha repetida na imprensa, nos eventos científicos e viajou o mundo todo divulgando suas ideias. Conheça duas de suas marcantes afirmativas sobre o amor:

buscaglia01

Fonte: https://pensador.uol.com.br/frase/ODM5MDc3/

buscaglia02

Fonte: https://pensador.uol.com.br/frase/MTczMTgzNQ/

 

Mas você se engana se pensa que o professor Leo Buscaglia é um dos poucos que se preocupam com o tema do “amor” no ambiente acadêmico. Definitivamente não! Existem muitos núcleos de pesquisa em torno desse assunto ao redor de todo mundo. Várias áreas do conhecimento humano se integram na tentativa de entender melhor aquilo que é difícil conceituar de maneira objetiva, mas tão fácil perceber seu poder na vida diária. Aliás, os próprios cientistas concordam que são os poetas que melhor definem o amor, pois a poesia – ao contrário da ciência – aceita uma total falta de lógica e coerência na construção conceitual do amor.

Para ilustrar essa falta de coerência na determinação do significado, olha que bonitinhos são esses famosos versos de Luiz de Camões, um dos maiores poetas da língua portuguesa:

Amor é fogo que arde sem se ver,
é ferida que dói, e não se sente;
é um contentamento descontente,
é dor que desatina sem doer.

Como estávamos dizendo, vários laboratórios de pesquisa escolheram o amor como objeto de estudo e já publicaram suas conclusões em periódicos de pesquisa bastante renomados.  Um dos temas mais recorrentes nessas pesquisas é a relação de um hormônio chamado ocitocina (ou oxitocina em algumas tradições) e o envolvimento amoroso, seja familiar, romântico ou de amizade. Dá pra ver um resumo dessas conclusões no diagrama abaixo.

ocitocina

Para os cientistas, quanto mais esse hormônio está presente na corrente sanguínea mais o indivíduo se mostra predisposto ao amor. Sue Carter, neuroendocrinologista e pesquisadora da Universidade de Illinois (EUA), diz assim: “Quando a ocitocina circula pelo corpo, é como se o amor corresse pelas veias”.

O professor Markus Heinrich (Alemanha) e a professora Kerstin Unvnas Moberg (Suécia) concordam com essa ideia e vão mais longe ao enumerarem os grandes benefícios físicos e emocionais que a maior circulação de ocitocina no organismo promove:

  • As pessoas doam mais dinheiro para a caridade
  • Leem emoções com mais facilidade
  • Sua comunicação é mais construtiva
  • Apresentam melhor resolução de conflitos
  • Dedicam mais consideração com outras pessoas
  • Lembram com mais carinho dos pais
  • São mais calmas
  • Sentem menos stress
  • Maior tolerância a situações repetidas e tediosas
  • Maior disposição para interação social
  • Menor pressão arterial
  • Liberação de doses de insulina natural
  • Apresentam capacidade de cicatrização aumentada
  • Dormem melhor

Quanta coisa boa, não é mesmo? E o melhor é saber que todos esses pesquisadores também concluíram que é possível estimular a produção desse hormônio em nosso organismo. Não é preciso usar um medicamento para tal, a receita inclui atitudes diárias que podem mudar definitivamente a nossa vida, produzindo mais ocitocina e aumentando, em muito, a nossa felicidade. Veja algumas dicas práticas:

1- ABRACE MAIS

2- DESENVOLVA INTIMIDADE E COMPROMISSO COM AQUELES QUE VOCÊ AMA

3- SEJA MAIS CARINHOSO. CARINHO FUNCIONA COMO ANALGÉSICO NATURAL.

4- CULTIVE SUAS AMIZADES

5- ANDE DE MÃOS DADAS COM ALGUÉM IMPORTANTE PARA VOCÊ

6- VEJA A VIDA DE FORMA POSITIVA E DESENVOLVA A AUTOESTIMA

7- OLHE NOS OLHOS DE QUEM VOCÊ CONVERSA

8- SEJA GRATO AOS SEUS PAIS

9- NÃO GUARDE MÁGOAS, PERDOE

10- SEJA GENEROSO MESMO COM QUEM VOCÊ NÃO CONHECE

 

A pesquisadora sueca Kerstin Unvnas Moberg ainda concluiu que os efeitos positivos promovidos pela ocitocina no organismo são duradouros, e além disso podem se fixar ainda mais se investirmos nessas atitudes ao longo do tempo. Nesse mesmo sentido, pesquisadores americanos concluíram que o amor pode promover mudanças profundas em nosso cérebro, e publicaram essas e outras conclusões em um livro bem bacana chamado “A General Theory of Love”.

Veja um trechinho:

a-general-theory-of-love

 

Pode ser muito legal tudo isso que estamos conversando, mas, convenhamos, para nós espíritas isso não corresponde a nenhuma novidade. Não nos faltam informações que afirmam o quanto o amor é um elemento central nas nossas existências, fator indispensável para nossa evolução tanto intelectual quanto moral.

 

Já dizia Fénelon, em O Evangelho Segundo o Espiritismo:

O amor é de essência divina. Desde o mais elevado até o mais humilde, todos vós possuís, no fundo do coração, a centelha desse fogo sagrado.

 

Na mesma obra, completa Sansão:

Amar, no sentido profundo do termo, é ser leal, probo, consciencioso, para fazer aos outros aquilo que se deseja para si mesmo. […] É encarar a grande família humana como a sua própria, porque essa família irá reencontrar um dia em mundos mais adiantados.

 

Um comentário de Kardec ainda lembra:

Feliz aquele que ama, porque não conhece nem a angústia da alma, nem a miséria do corpo; seus pés são leves e vive como que transportado para fora de si mesmo.

 

Viram como aparece clara a ideia de que o amor é fator decisivo para o bem estar material e espiritual? Joanna de Ângelis deixa isso bem claro em um trecho do livro “Amor, Imbatível Amor” que diz assim:

Quando se ama, se é livre.

Quando se ama, se é saudável.

Quando se ama, se desperta para a plenitude.

Quando se ama, se rompem as couraças e os anéis que envolvem o corpo, e o Espírito se movimenta produzindo vida e renovação interior.

O amor é bênção que luariza as dores morais.

O amor proporciona paz.

 

Então, depois de tudo isso, só nos resta um convite a fazer: vamos viver uma vida com mais amor? Sabemos que não é tão simples quanto parece, mas sim um desafio grande e inevitável para quem quer ser feliz de verdade. Amar mais talvez seja mesmo o maior desafio da nossa vida!

Para finalizarmos, vamos sugerir a você uma playlist cheia de poesia em forma de música, que vai ajudar a embalar o ritmo do amor. Se os próprios cientistas afirmam que são os poetas que melhor conseguem conceituar essa emoção tão complexa, quem somos nós para discordar? Então, aumente o som e aproveitaê!

 

Lembrou de mais músicas lindas sobre o amor? Deixa nos comentários para compartilhar com a galera.

Abraços e muito amor para você.

Até semana que vem.

 

<3<3<3



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *