Yabadabadooaê – A Família Primitiva

Amigos, falar da família, ou de qualquer aspecto da época primitiva, é um grande desafio para todos nós. A Antropologia nos traz muitas descobertas, assim como as revelações espíritas, que trazem complementações e informações importantes sobre esse período de nossa existência. Sim, nossa existência! Estivemos lá!

Não sabemos ao certo como eram as famílias nessa época, mas sobreviver, em um mundo cheio de perigos e desafios impostos pela natureza, exigia força conjunta, e apenas a união em clãs e/ou tribos propiciaria sucesso nessa caminhada.

Mas… Será que essas uniões em clãs e tribos eram movidas pelos sentimentos que hoje vivenciamos em família?

croods01

O pensamento contínuo, quando da humanização do princípio inteligente, aliado ao instinto e aos direcionamentos dados pela espiritualidade superior foram preponderantes para o início das organizações familiares primitivas. Éramos movidos pela necessidade de perpetuar a espécie, e a força física era uma grande aliada nesse momento. Os sentimentos mais nobres encontravam-se adormecidos no início de nossas trajetórias, como se pode observar em o Livro dos Espíritos:

 

 

 

Nos […] povos primitivos a matéria sobrepuja o espírito; eles se entregam aos instintos do animal selvagem. Por isso é que, em geral, são cruéis; é que neles o senso moral ainda não se acha desenvolvido.[..] 1

 

 

 

Será que nós éramos mais parecidos com os animais, ou seja, vivíamos mais a vida material do que a vida afetiva em família? O que vocês acham? No livro A Gênese, é feita uma abordagem que pode nos ajudar. Olhe este trecho que fala da formação da raça humana no nosso planeta:

Quando a Terra se encontrou em condições climáticas apropriadas à existência da espécie humana, encarnaram nela Espíritos humanos.

[…]

Revestiram-se de corpos adequados às suas necessidades especiais, às suas aptidões, e que, fisiologicamente, tinham as características da animalidade. Sob a influência deles e por meio do exercício de suas faculdades, esses corpos se modificaram e se aperfeiçoaram.

[…]

Malgrado à analogia do seu envoltório com o dos animais, poderemos diferenciá-lo destes últimos pelas faculdades intelectuais e morais que o caracterizam.2

Estamos nessa caminha há muito tempo, amigos! Quanto tempo? Não sabemos! Os nossos amigos espirituais nos tranquilizam, trazendo a seguinte informação em o Livro dos Espíritos: “Todos os vossos cálculos são quiméricos. O princípio das coisas está nos segredos de Deus.” 4 

Nessa época primitiva de nossas existências, a consanguinidade não tinha a importância que tem na sociedade moderna, provavelmente não sabíamos nem quem eram pais e filhos e, se soubéssemos, a relação era de líderes e liderados no clã. Os laços afetivos só germinariam com o passar do tempo. Avançamos e, com isso, os laços afetivos baseados na consanguinidade se fortaleceram. Até os dias de hoje, esses afetos ainda são muito pautados na matéria, mas já é um ensaio para o amor mais amplo que, um dia, experimentaremos na verdadeira família, que é a família espiritual, essa, sim, tem os seus alicerces nos laços afetivos.

Filme-Filme-Os-Croods

Vamos acompanhar a evolução da família juntos? Então, CURTEAÊ essa série especial sobre o tema!

AIJ / FEEES

 

 

Referências:

1 – Allan Kardec – O Livro dos Espíritos – Pergunta 669

2 – Allan Kardec – A Gênese – Cap. XI – Gênese Espiritual – item 29

3 – Consultado em 03/05/2016: http://g1.globo.com/ciencia-e-saude/noticia/2015/09/antiga-especie-do-genero-humano-e-descoberta-na-africa-do-sul.html

4 – Allan Kardec – O Livro dos Espíritos – Perguntas: 48 e 49



5 respostas para “Yabadabadooaê – A Família Primitiva”

  1. Maria Orletti disse:

    Muito show!!!

  2. Maria Orletti disse:

    Muito show!

  3. Alba SAmpaio disse:

    Uau!
    Que surpreendente!
    Cada dia ficando melhor!!
    Parabéns a todos da Equipe!!
    Paz e bem!

  4. Estela Sandra disse:

    Uga Uga, massa!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *