Espera aí!

Vamos continuar a conversar sobre o conselho de Abigail a Paulo, quando ele se questionava sobre sua missão aqui na Terra: AMA, TRABALHA, ESPERA e PERDOA. Não sabe do que estou falando? Então dê uns passinhos pra trás aí e leia o post que abriu a série. Aproveite e leia os dois textos seguintes: AMA e TRABALHA… Agora, ESPERA! Assiste o vídeo abaixo e vamos conversar sobre ele. Preste bastante atenção em cada imagem e tente identificar se alguma delas se relaciona com sua própria realidade:

Assistiu? Então, reflita: qual parte do vídeo chamou mais sua atenção ou causou identificação? Que sentimento você relacionaria a essa parte em uma palavra? E, já que há várias e várias semanas estamos falando de família aqui no Gera’ê, tente levar estas imagens e sentimentos para o contexto da sua família: como tem sido sua convivência junto a seus familiares?

 

ESPERA é o imperativo do verbo esperar. Esperar é ter esperança em, estar à espera de, contar com; aguardar; estar na expectativa; ter como certo ou muito provável conseguir; confiar no auxílio ou proteção. Sendo assim, o que você espera de sua família? O que você espera de si mesmo como membro de sua família? Há algo que você acha que ainda precisa esperar que se modifique em seu contexto familiar, ou seja, o trabalho que poderia ser feito foi feito (AMA e TRABALHA), e você tem esperança de que estas coisas se modifiquem com o tempo?

 

Muitas vezes, estamos em momentos diferentes em relação a um ou mais membros da família, faltando-nos compreensão. Ou talvez algum membro da família enfrente alguma limitação, que nos deixa impacientes e aflitos. Compreender a limitação e o momento do outro é essencial para a manutenção da harmonia e para a criação de um ambiente de mais respeito e amorosidade entre as pessoas.

 

Às vezes, podemos passar por momentos de não aceitação e intolerância com relação às decisões tomadas por nossos familiares, principalmente na relação entre pais e filhos. Nesses casos, é comum uma certa ansiedade de pular uma etapa para atingir a esperada independência/liberdade. Entretanto é construtivo o exercício da paciência e compreensão de que tudo ocorre em seu tempo e que o enfrentamento das dificuldades é que compõe a maturidade necessária para a vida adulta. Que a frustração, em regra, ocorre, quando não sabemos esperar o momento certo.

 

Em O Evangelho Segundo o Espiritismo, um Espírito amigo nos traz uma lição muito importante sobre a paciência:

Sede pacientes. A paciência também é uma caridade e deveis praticar a lei de caridade ensinada pelo Cristo, enviado de Deus. A caridade que consiste na esmola dada aos pobres é a mais fácil de todas. Outra há, porém, muito mais penosa e, conseguintemente, muito mais meritória: a de perdoarmos aos que Deus colocou em nosso caminho para serem instrumentos do nosso sofrer e para nos porem à prova a paciência.

Há ainda aqueles casos em que nos cobramos muito, achamos que somos inferiores aos nossos familiares ou que não merecemos estar naquela família. A nossa ansiedade em superar as nossas próprias questões, os nossos erros e medos, muitas vezes, torna a nossa caminhada muito angustiante. Temos que ter certeza de um futuro melhor, de que a cada dia podemos superar um pouco mais a nós mesmos, mas conscientes de que temos de ter paciência. O esforço íntimo deve ser diário.

 

A questão 982 de O Livro dos Espíritos nos lembra que temos uma ferramenta que pode muito nos ajudar neste momento:

A crença no Espiritismo ajuda o homem a se melhorar, firmando-lhe as idéias sobre certos pontos do futuro. Apressa o adiantamento dos indivíduos e das massas, porque faculta nos inteiremos do que seremos um dia. É um ponto de apoio, uma luz que nos guia. O Espiritismo ensina o homem a suportar as provas com paciência e resignação; afasta-o dos atos que possam retardar-lhe a felicidade […].

 

Portanto, com paciência e resignação, após trabalhar o que era possível, pratiquemos o ESPERA na sua dimensão de confiar no futuro, no outro, em nossos pais, irmãos e filhos. A construção dessa base sólida é fundamental para o nosso desenvolvimento, e o ambiente familiar é primeiro espaço em que Deus nos oportuniza essa solidez, confiança e laços de amor.

 

Se hoje a gente acha que vai dar tudo errado, devemos esperar o novo Sol que trará uma nova forma de encarar as coisas. É Deus, a cada novo dia, trazendo a todos nós uma oportunidade de fazer diferente, de ser diferente. Esperar não pode ser interpretado de modo pejorativo, de mera passividade. É ter atitude positiva diante da vida, confiança em Deus e em si mesmo.

 

Referências:

  • O Livro dos Espíritos
  • O Evangelho Segundo o Espiritismo

 

😉



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *