Desapega, desapega!

Ei! Você! Se descobrisse que ia morrer agora, estaria preparado? E ai tem medo de morrer? Será que existe mesmo a dona morte? Aquele bicho feio com uma foice na mão…
voltae01-01
O Espiritismo nos responde e dá explicações tão detalhadas sobre este processo de passagem do mundo material para o espiritual que quanto mais estudamos, menor é o receio do desconhecido. Para quem conhece e entende a vida como algo muito maior do que os, no máximo, cento e poucos anos que nosso corpo aguenta funcionar, tudo passa a ter um novo sentido.

Quando passamos a compreender que o que morre, aquilo que é cremado ou enterrado é só o corpo, sofremos menos a partida. Na maioria das vezes, o Espírito quando deixa a vida corporal , segundo o livro dos médiuns, sofre um estado de perturbação onde tudo fica confuso ao seu redor; ele vê o corpo inerte, mas sente-se vivo; sabe que o corpo é dele, mas não entende porque está separado dele. Em um segundo momento, o Espírito passa a perceber o corpo como uma vestimenta velha da qual está despojado , sente-se leve e desembaraçado de um fardo, não experimenta mais dores físicas, sente-se feliz por constatar que apesar da falta do corpo, continua com sua personalidade.

No livro o céu e o inferno encontramos essa comparação : “O Espírito se separa do corpo como um fruto maduro se destaca de seu caule.” E completa que, a causa principal da dificuldade do Espírito se desligar do corpo é o estado moral da alma apegada a matéria.
voltae01-03
Chico Anisio antes de morrer disse que não tinha medo de morrer, tinha pena…e isso nos lembrou uma história que aconteceu a muito tempo atrás em um quarto de hospital. Um senhor e sua sobrinha ouviram do médico que ele precisaria passar por um procedimento cardíaco bem delicado. O tio apreensivo confidenciou a sobrinha que não queria morrer, pois achava que ainda tinha muita coisa para fazer, queria ainda ensinar muitas outras pessoas a ler e escrever. Ela respondeu para ele não se preocupar, afinal se desencarnasse ele poderia continuar a fazer o que mais gostava. Alguns dias depois da cirurgia ele desencarnou, mas temos a certeza que continua com bons propósitos sendo professor no mundo espiritual.

Precisamos aprender a falar da morte com leveza e com aceitação, afinal morrer é uma certeza que não temos como fugir, e não precisa ser impecílio para fazer o que queremos. Um exemplo foi este diálogo que aconteceu no último dia do Encontro de Mocidades Espíritas do Espírito Santo, o EMEES, desde ano. Um jovem perguntou para o outro se ele iria voltar no encontro do ano que vem e ele respondeu que nem sabia se ia estar vivo até lá, mas o outro disse que isso não seria problema, afinal ele poderia vir assim mesmo!

Nosso corpo é uma máquina fantástica criada por Deus, nos dá o que precisamos para evoluir no mundo material, cada sensação boa ou ruim é instrumento para evolução do Espírito, assim devemos amá-lo com todos os defeitos e qualidades que muitas vezes escolhemos antes de encarnar(então não dá nem pra reclamar).

Quando chegar a hora dessa máquina parar de funcionar e temos que nos despedir, que possamos ter a alma leve . Então gente, desapegaê desde já das coisas materiais! Mas sem pressa de passar para o outro lado, porque para a nossa outra vida ser tão boa quanto esta ou melhor, temos que ter feito tudo para viver bem com a gente mesmo e com os outros. Os problemas vão continuar onde a gente estiver, do lado de cá ou de lá, porque eles estão dentro de nós e só nós temos o poder de resolver.

Para terminar uma frase de Richard Simonetti : “Quando nasceste todos sorriam só tu choravas, vive de tal modo que quando morreres todos chorem só tu sorrias”.
voltae01-02



4 respostas para “Desapega, desapega!”

  1. Ana Amelia Braga disse:

    Achei maravilhoso o comentario parabens

  2. Ana Amelia Braga disse:

    Completando a resposta gostei da explicação pois assim falar sobre assunto para outras pessoas que possam tambem aproveitar todos assuntos enviados por voces obrigada muita Paz

  3. Shirley Ferreira Braga disse:

    Quantos sofrimentos, desesperos, seriam evitados se todos conhecessem a verdade sobre o processo da vida.
    Cabe a nós conhecedores da Doutrina Espírita divulgarmos em larga escala, tão abençoada doutrina, para que cada dia mais, irmãos na caminhada estejam preparados para desencarnar e ver os seus afetos passarem por esse processo natural da vida.
    Parabéns a todos trabalhadores espíritas que dedicam seu tempo em prol de uma humanidade mais feliz e transformada.
    Parabéns para você, minha prima Elaine, que desde a tenra idade soube receber a direção que carinhosamente lhe foi dada pela sua mãe, querida tia Ana Amélia, e que hoje além de praticar os ensinamentos do Cristo, através da Doutrina, a divulga com dedicação e amor. Deus a abençoe. Prima Shirley.

  4. Mary Orletti disse:

    Parabéns a toda equipe pelos textos brilhantes!!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *