Criaturas Humanas co-criadoras com o Pai: por que não?

No Livro “Evolução em dois Mundos”, psicografia de Francisco Cândido Xavier pelo espírito André Luiz, o mentor nos esclarece que o princípio inteligente, desde as primeiras manifestações da vida, evolui em difícil caminhada evolutiva de magnitude milenar, sob a orientação dos Construtores Sublimes, que assessoram a criação Divina. Vagarosamente, esse princípio foi assimilando todos os automatismos da vida orgânica, aos quais foram se somando os instintos na vida animal, até atingir a condição de consciência provida de razão e livre-arbítrio.

amebafeliz

Cada criatura humana é complexo registro de vivências milenares, com incomensuráveis experiências no plano físico e extrafísico que determinaram o que são hoje. E quantas dificuldades permeiam a trajetória já experienciada pelo Espírito? Como, com nossa pequenina amplitude de análise, julgar a pertinência desta ou daquela decisão de um irmão de caminhada?

Sabemos que todas as vivências do Espírito, sejam de ordem física ou moral, ficam armazenadas no perispírito, que é um corpo semimaterial. Pela Lei de Causa e Efeito, a soma das nossas ações refletirá nossa condição feliz ou desditosa, seja no plano espiritual, seja durante a encarnação. Diante das infinitas necessidades evolutivas de cada ser, Deus, por sua Providência, na proporção do desenvolvimento moral e intelectual do homem, vai permitindo novas possibilidades e oportunidades ao ser em evolução.

E é nessa lógica que Deus, por mérito do esforço do próprio homem, permitiu diversos prodígios da Medicina que alteraram o estado de coisas de forma profunda, trazendo alívio às duras provas a serem vencidas, conforme planejamento encarnatório de cada ser.

Para facilitar a compreensão, imaginem a seguinte situação: um casal que teve experiências desastrosas no campo da sexualidade, com a ocorrência de abortos provocados, pode, por Misericórdia Divina, ser convidado ao testemunho da expiação e reparação pela esterilidade provisória, até que se recupere a lesão provocada no centro de força genésico do seu perispírito.

Mas Deus é tão maravilhoso, que sempre proporciona ao homem a possibilidade do trabalho no bem. Diante disso, cientistas desenvolveram técnicas de fertilização assistida, que têm proporcionado a milhares de pessoas a felicidade de experimentarem a maternidade/paternidade consanguínea, apesar das limitações impostas pelas ações equivocadas em passado remoto e/ou recente, obviamente, na proporção da permissão de Deus, conforme merecimento individual.

Um outro exemplo prático seria a situação das novas configurações familiares em que casais do mesmo sexo desejam experimentar a paternidade/maternidade.

Livro-Evolucao-em-Dois-Mundos-Francisco-Candido-Xavier-2704569André Luiz, em Evolução em Dois Mundos, pela psicografia de Chico Xavier, sobre a origem do instinto sexual, relata:

“… que todas as nossas referências a semelhantes peças do trabalho biológico, nos reinos da Natureza, objetivam simplesmente demonstrar que, além da trama de recursos somáticos, a alma guarda a sua individualidade sexual intrínseca, a definir-se na feminilidade ou na masculinidade, conforme os característicos acentuadamente passivos ou claramente ativos que lhe sejam próprios. A sede real do sexo não se acha, dessa maneira, no veículo físico, mas sim na entidade espiritual, em sua estrutura complexa. E o instinto sexual, por isso mesmo, traduzindo amor em expansão no tempo, vem das profundezas, para nós ainda inabordáveis, da vida (..)”

“(..) Por ele, as criaturas transitam de caminho a caminho, nos domínios da experimentação multifária, adquirindo as qualidades de que necessitam; com ele, vestem-se da forma física em condições anômalas, atendendo a condições regeneradoras na lei de causa e efeito ou cumprindo instruções especiais com fins de trabalho justo. O sexo é portanto mental em seus impulsos e manifestações, transcendendo quaisquer impositivos da forma em que se exprime(..)”

Após o esclarecimento do mentor, compreendemos que as infindáveis configurações familiares, em um planeta que está a caminhar para uma realidade de regeneração e tolerância, precisa atender às necessidades das almas, no que tange à manifestação do amor, ou seja, os avanços da Medicina também atendem a estes irmãos, que clamam por manifestar seu amor familiar em plenitude.

Louise Brown

No ano de 1978, o mundo ficou maravilhado com um grande marco para a reprodução humana. Nasceu, na Inglaterra, Louise Brown, o primeiro bebê de proveta, ou seja, um bebê que iniciou sua vida num tubo de ensaio, trazendo esperança para milhares de casais inférteis do Planeta.

Depois surgiram diversas técnicas que qualificaram o trabalho em Reprodução Assistida:

  1. Inseminação artificial – a fecundação ocorre dentro do corpo da mulher;
  2. GIFT – Transferência Intratubária de Gametas – óvulos e espermatozoides são transferidos para a tuba uterina artificialmente;
  3. ZIFT – Transferência Intratubária de Zigotos – o zigoto (resultado da união entre espermatozoide e óvulo) é transferido para o interior da tuba uterina;
  4. Barrigas de substituição – “barrigas de aluguel”;

Percebam que esses avanços da Medicina trouxeram a possibilidade de minimizar os diversos danos de ordem psicológica e relacional, próprios das famílias impossibilitadas de vivenciar a paternidade/maternidade consanguínea.

Vários religiosos são contra a execução da fertilização in vitro – FIV – sob alegação de que o homem está interferindo em coisas que são de Deus; que a concepção é feita de forma fria, supostamente sem a presença do amor dos cônjuges.

Até mesmo alguns espíritas podem se questionar, uma vez que sabemos que situações como a infertilidade estariam já definidas no planejamento encarnatório. Além disso, poderiam considerar a possibilidade de a ciência estar interferindo sobremaneira na escolha dos gametas a serem envolvidos na fecundação, teoricamente impossibilitando o ciclo natural da concepção e tarefas das equipes espirituais de trabalho associado à encarnação, que, invariavelmente, envolvem magneticamente o gameta com a carga genética ideal para a formação do novo corpo físico, conforme necessidades evolutivas do espírito reencarnante.

Livro-dos-Espiritos-O--Noleto--1A Pergunta de número 780 de O Livro dos Espíritos coloca a seguinte situação: “O progresso moral acompanha sempre o progresso intelectual? Os espíritos respondem: “Decorre deste, mas nem sempre o segue imediatamente.” Allan Kardec continua o questionamento: “Como pode o progresso intelectual engendrar o progresso moral?” – “Fazendo compreensíveis o bem e o mal. O homem, desde então, pode escolher. O desenvolvimento do livre-arbítrio acompanha o da inteligência e aumenta a responsabilidade dos atos.”

Sendo assim, caro leitor, podemos inferir que Deus permite todas essas inovações com o intuito de impulsionar a evolução do ser espiritual de forma integral. Contudo, por ação do livre-arbítrio do próprio ser, é possível que, eventualmente, pelo mau uso do progresso intelectual, o homem possa aumentar seus débitos com a Divina Lei. Necessário é que o homem analise criteriosamente o objetivo e os resultados morais das próprias construções. Isso não seria diferente com a Reprodução Assistida.

A revelação espírita desvenda muitos “mistérios” relacionados à nossa natureza espiritual e aos mecanismos encarnatórios. É sabido que equipes de trabalhadores extremamente qualificados na genética espiritual auxiliam nesses processos pela magnetização dos gametas, além do psiquismo do Espírito reencarnante ser determinante para a escolha dos elementos que formarão seu novo corpo físico. A interveniência humana por meio da ciência de modo algum nega ou impede a participação da espiritualidade e da providência Divina no processo. Na verdade, reafirma a misericórdia Divina, o potencial do espírito de, cada vez mais, conhecer as leis naturais e utilizá-las para seu próprio bem.

E, assim, segue o homem utilizando os recursos fornecidos por Deus e potencializando o seu papel de co-criador, como um dia anunciou Jesus: “Vós sois Deuses”.

 

Referências:

Embriologia da Alma/ Fatores determinantes na gestação – Dr. Romário de Araújo Melo – Editora Solidum

Evolução em Dois Mundos – Psicografia de Franscisco Cândido Xavier, pelo espírito André Luiz

Livro dos Espíritos – Allan Kardec – P. 780/ 780 a

http://reproducaoassistida.blogspot.com.br/2013/10/tecnicas-transferencia-intratubaria-de.html

http://www.ghente.org/temas/reproducao/



Uma resposta para “Criaturas Humanas co-criadoras com o Pai: por que não?”

  1. Alessandro disse:

    Muito estudo para todos nós!

    Lindo texto!

    bjs

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *