Bandeirantes, um recomeço para as novas gerações.

Você gosta de história? Pois hoje vamos falar de uma história que aconteceu aqui mesmo no Brasil, há 400 anos atrás. Naquela época, almas decididas e heroicas foram convocadas a penetrarem no coração do Brasil, para desbravar esta terra imensa, mas sempre conservando a bandeira de amor de Jesus. Essa missão ajudaria a desvendar as fontes de riqueza do vasto território brasileiro, auxiliando a colonização e fazendo desabrochar o nosso povo.

 

Os Bandeirantes, como ficaram conhecidos, reencarnaram, então, no Brasil e se espalharam por todas as regiões da terra do Cruzeiro.  Entretanto, nos nevoeiros da carne, deixaram que suas ambições turvassem suas consciências. Na caça ao ouro e às lendárias esmeraldas, desbravaram o solo brasileiro à custa de muito sangue e sofrimento.

 

Bandeirantes

 

Após retornarem à Pátria Espiritual, imploraram misericórdia para os delitos perpetrados na Terra. Do Infinito, lhes foi falado que, atrás dos seus passos, floresceram cidades valorosas, e os que receberam os seus benefícios abençoavam os seus esforços, no entanto teriam que retornar à Terra, para reparar o mal praticado a todos aqueles que foram prejudicados.

 

Voltando ao presente, vivemos hoje um tempo de transformações. O mundo inteiro está conectado a uma enorme rede na qual a informação flui com velocidade impressionante. Temos notícia de muita coisa ruim acontecendo: guerras, pessoas oprimidas, preconceito, bullying, corrupção, descaso, desrespeito à Natureza… Algumas delas acontecem longe, muitas outras bem ao nosso lado, e isso nos move, não é mesmo? Temos que fazer alguma coisa! Não pode ser assim! Temos que mudar o mundo!

 

Isso é ótimo! Precisamos mesmo desta energia para o tanto de trabalho que temos pela frente, se quisermos nos afastar cada vez mais do mundo de provas e expiações, rumo a uma sociedade mais feliz. No entanto, se a história acima pode nos ensinar alguma coisa, é que a forma – o “como” faremos – é tão importante quanto o objetivo final. Ao contrário do ditado popular, os fins não justificam os meios! Mudar o mundo, sim, sempre conservando a bandeira do amor de Jesus, já conosco há séculos, mas muitas vezes tão esquecida… Afinal, de que adianta ajudar a transformar a Terra num mundo de regeneração e ser enviado pra outro mundo mais atrasado, né?

Estamos, então, todos convocados a ser Novos Bandeirantes, revelando ao mundo as riquezas que esta Terra tem e que podem nos ajudar na verdadeira transformação, por meio do amor. E é por conta desse desafio que hoje inauguramos uma nova temporada do Gera’ê, em que vamos conversar sobre temas super variados, mas todos com esta “pegada” Pra Mudar o Mundo e, claro, sob a ótica da Doutrina Espírita. Já está curioso pra saber quais são estes temas? Olha o spoiler:

 

Cultura da paz: no mundo ou no íntimo, quais batalhas a humanidade tem travado contra si mesma? Como alcançar paz interior, diante de tanta desordem? Promovemos a paz ao julgar os outros? Ao cultivar relações violentas com o próximo?
Diversidade: em um mundo com 7,5 bilhões de pessoas diferentes, como conviver com tanta diversidade etnicorracial, religiosa, humana, sexual e de gênero? Será que o nosso tom de pele, nossas crenças ou a forma que nascemos devem indicar o tom do diálogo?
Mídia: somos senhores das nossas escolhas ou somos influenciados pela mídia? Como separar o joio do trigo em meio a tanta informação? Como lidar com a força do Marketing e das marcas? Como os meios de comunicação podem ser aliados na tão desejada transformação social?
O mundo do trabalho: viver para trabalhar ou trabalhar para viver? Temos todos uma vocação e uma carreira planejada? O que fazer se nossas carreiras exigem atitudes contrárias aos nossos valores? O que é sucesso profissional? E fracasso?
Política e cidadania: como criar canais de comunicação de forma não-violenta? Como solucionar questões difíceis consigo e com o outro, tendo a mensagem cristã como roteiro? É possível resistir ao mal com o bem? Como vivenciar os desafios e possibilidades do processo democrático?
Redes sociais: qual o impacto do nosso pensamento no cotidiano? Como nossa rede se constrói ao longo das existências de espírito imortal? E na vida atual, nas redes sociais da Internet, como cultivar boas relações virtuais? Como usar a rede para conhecer projetos que mudam o mundo?
Saúde integral: como lidar com rotina, ansiedade, medo, solidão e liberdade?  Ter relacionamentos interpessoais mais saudáveis? Lidar de forma mais leve com nossas emoções? E como fazer bom uso de nossa energia sexual em meio a tanta banalização?
Sustentabilidade: lixo zero é possível? Como cuidar de si e do outro na alimentação? Como cuidar do planeta, nos tornando seres mais sustentáveis? Onde está guardada a sua riqueza?
Valorização da vida: qual o papel do Espiritismo frente aos atuais dilemas sociais? Ser espiritual e Ser social são indissociáveis? Existe uma ética específica para cada condição? Como aliviar os corações oprimidos? Quais são as verdadeiras ações de valorização da vida?

Curtiram? Então, antes de me despedir de vocês, deixo um convite para conhecerem o trabalho que inspirou nossos temas: os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU. São 17 objetivos globais, subdivididos em 169 metas, formando uma agenda criada para colocar o mundo em um caminho mais sustentável e resiliente, um plano de ação para o planeta e as pessoas.

Boraê mudar o mundo novos Bandeirantes!

 

 



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *